jump to navigation

Entrevista com o leitor #2 outubro 13, 2012

Posted by rpellanda in Entrevista com o leitor.
add a comment

Nova entrevista com o leitor de Noite sem Fim:

1- Nome e cidade:

Carolina Moretti Barboza   –   Campinas/SP

2- O que você achou de Noite sem Fim?

O livro é muito bom, a forma como as cenas são descritas te deixam a par de tudo o que está em volta, mas sem ficar cansativo. O livro te prende do início ao fim; você não vê a hora de descobrir os segredos por trás do regime Ancião, que é imposto ao povo da Vila. E penso que tudo, desde aventura, romance e conhecimento sobre os segredos da Vila, são descritos de forma precisa e na medida certa. E quando você chega ao fim do livro o leitor fica com aquela sensação de que quer mais! O autor escreve muito bem, não é uma leitura difícil, e sim prazerosa. Ele escreve de uma maneira que você se sente dentro da estória e isso é muito bom.

3- Com qual dos três membros do clube de leitura você se identificou mais? E por quê?

Pergunta complicada essa, eu nunca havia pensado nisso. Deixa eu pensar… Eu me identifico mais com a Maya, porque apesar de saber que o que estava fazendo era “ilícito” de acordo com a Lei Anciã, ela não aparentava ter medo do que fazia por amar os livros e querer descobrir mais a respeito deles. E ela vive cercada por livros, seus pais são donos de uma livraria, e eu também amo viver cercada por eles, sua presença e conteúdo me deixam ávida por querer ler ainda mais, descobrir mais.

 4- Qual foi a sua cena favorita?

A cena em que o Martin é preso para proteger a Maya. Com certeza essa é a melhor! Nesse momento ele sabia o risco que estava correndo, e sabia o que aconteceria quando o vissem, mas, independente disso, ele foi lá sem medo. Desde que a Maya estivesse segura ele não se importava com o que aconteceria com ele. Isso sim é que é prova de amor.

5- A revelação do prólogo do livro dois, no final de Noite sem Fim, pegou você de surpresa?

Com toda certeza!!! Quando eu li, fiquei incrédula, nossa eu não esperava por aquilo, é uma revelação bombástica sem sombra de dúvidas! Apesar de inicialmente surpresa, quando penso em alguns detalhes do primeiro livro, como o sonho que o Martin tem com grande frequência, e sobre a vida de Maelcum, me fazem pensar que faz todo sentido essa revelação. E o fato de os Anciãos terem medo do Martin acaba por confirmar ainda mais isso.

Entrevista com o leitor #1 julho 1, 2012

Posted by rpellanda in Entrevista com o leitor.
add a comment

Inaugurando a sessão “Entrevista com o leitor”! A primeira entrevistada é a Claudine Duarte:

1- Nome e cidade:

Claudine Duarte – Curitiba PR

2- O que você achou de Noite sem Fim?

Noite sem Fim me surpreendeu muito. Pela sinopse achei a estória interessante, mas foi muito melhor do que eu esperava. Depois de começar a leitura, eu simplesmente não conseguia parar. Eu precisava saber o que ia acontecer em seguida. O mistério foi dosado perfeitamente: o suficiente para me prender, sem exagerar a ponto de me cansar. Por se tratar do primeiro livro de uma série achei que o final de Noite sem Fim foi ótimo. A estória foi interrompida na hora certa.

3- Qual aspecto do livro mais lhe surpreendeu?

O que mais me surpreendeu foi a grande qualidade da obra, a atenção dada a todos os detalhes. Saber que esta obra incrível é nacional me encheu de orgulho.

4- Qual foi a sua cena favorita?

Minha cena favorita foi a da fuga de Martin da masmorra. Eu jamais imaginei que ele seria preso e, enquanto estava lá passando fome, temi que o pior acontecesse. Johannes Bohr foi um anjo da guarda para nosso protagonista. A prisão de Martin e seu tempo de reclusão acabaram por influenciar o futuro de toda a Vila.

5- Noite sem Fim retrata um mundo onde os livros são proibidos e o acesso à informação é controlado. A maior parte das pessoas na Vila não está assim tão preocupada com isso; preferem ficar presas em seus próprios cotidianos do que enfrentar a verdade. Você não acha que é um pouco parecido com a realidade do Brasil?

Eu acho que é muito parecido com a realidade do Brasil. Grande parte dos brasileiros lê apenas por obrigação, e se houvesse uma proibição não ficariam nem um pouco preocupados. Povo que não lê acaba não pensando e nem questionando, o que torna a vida dos governantes um tanto mais fácil. Felizmente no Brasil, como na Vila, temos um número crescente de pessoas que sentem prazer na leitura e na busca pelo conhecimento. E no caso de uma proibição por aqui, teríamos vários clubes de leitura, com certeza.

6- A revelação do prólogo do livro dois, no final de Noite sem Fim, pegou você de surpresa?

Sim! O prólogo me pegou de surpresa e me deixou muito mais ansiosa ainda pelo livro 2. O nome do livro, “O Primeiro Amanhecer”, também. Agora estou cheia de perguntas que só serão respondidas quando ele for lançado. De onde Martin veio afinal? Onde exatamente está Cristóvão Durão? Vai realmente amanhecer na Vila? Como? Por quê?…
Enfim, que venha O Primeiro amanhecer! E logo. ;D

 

Muito obrigado, Claudine!

Se você leu Noite sem Fim e também quer deixar aqui as suas impressões, escreva para:

rcpellanda (arroba) gmail.com